Alta disponibilidade: o que é

Tempo de leitura: 6 minutos

Alta disponibilidade

Alta disponibilidade: o que é  e onde está o beneficio? Sempre que ocorre uma falha no hardware ou no software de uma empresa, o departamento de TI fica em alerta. Afinal, dependendo da situação e das necessidades da organização, falhas desse tipo podem parar o trabalho e prejudicar a produtividade.

Para evitar transtornos como esses, existe o sistema de Alta Disponibilidade, que nada mais é do que um sistema que substitui o servidor que necessita de manutenção. Isso evita que a empresa fique sem acesso às informações necessárias e os risco de ser perder informações vitais para o negócio são minimizados.

Para te ajudar a entender melhor as vantagens do sistema, preparamos todas as informações sobre o assunto.

O que é Alta Disponibilidade?

No jargão da tecnologia da informação (TI), a disponibilidade pode ser medida em relação a “100% operacional” ou “nunca falhando”. Um padrão de disponibilidade amplamente utilizado para sistemas é conhecido como “disponibilidade de cinco 9s” (99,999 por cento).

Logo, a alta disponibilidade refere-se a um sistema, componente ou ambiente tecnológico que está continuamente operacional.

Uma vez que um sistema ou uma rede consiste em muitas partes, e que todas as partes geralmente precisam estar presentes para que o todo seja operacional, um bom planejamento de alta disponibilidade requer recursos como backups, processamento de failover e armazenamento de dados e acesso, redundância, monitoramento etc.

Em suma, estamos falando do período de tempo em que um serviço está disponível, bem como o tempo requerido por um sistema para responder aos comandos dos usuários. Alta disponibilidade, portanto, pode ser resumida como a qualidade de um sistema ou componente que assegura um alto nível de desempenho operacional por um grande período de tempo.

Como explicado acima, alta disponibilidade é, basicamente, um conjunto de sistemas ou processos que permitem que os serviços de tecnologia de uma empresa fiquem disponíveis o máximo de tempo possível, enquanto ocorrem reparos e manutenção. Dessa forma, não se perde tempo e a produção não é prejudicada.

Quais os benefícios da Alta Disponibilidade?

O principal benefício desse sistema é manter os servidores em funcionamento pleno e evitar longos períodos de inatividade, o que pode ocasionar perda de produtividade nos negócios.

Se pensarmos em nossa dependência em relação aos sistemas digitalizados, perceberemos o quanto isso é importante. Todas as informações de uma empresa ficam armazenadas em servidores que são acessados pelas diversas interfaces que a empresa tem disponível.

Ficar inacessível significa perder tempo e deixar de produzir. Portanto, os serviços de Alta Disponibilidade visam garantir, no final de tudo, a manutenção dos lucros do negócio.

Por isso, é extremamente necessário pensar nessa possibilidade como ferramenta para o departamento de TI realizar seu trabalho com mais tranquilidade e resultados mais eficientes para a organização.

Como funciona a alta disponibilidade tecnológica?

Um dos objetivos de alta disponibilidade é eliminar pontos únicos de falha na infraestrutura de TI. Um único ponto de falha é um componente tecnológico que pode causar uma interrupção do serviço se não estiver disponível.

Redundância

Logo, qualquer componente que é um requisito para o bom funcionamento de uma aplicação e que não tem redundância é considerado um ponto único de falha.

Para eliminar pontos únicos de falha, cada camada da infra deve estar preparada para a redundância. Por exemplo: imagine uma infraestrutura composta por dois servidores web idênticos e redundantes atrás de um balanceador de carga. O tráfego proveniente de clientes será igualmente distribuído entre os servidores da web, mas se um dos servidores falhar, o balanceador de carga redirecionará todo o tráfego para o servidor online disponível.

A camada do servidor web, nesse cenário, não é um único ponto de falha, pois componentes redundantes para a mesma tarefa estão no lugar e o mecanismo em cima dessa camada (o balanceador de carga) é capaz de detectar falhas nos componentes e adaptar seu comportamento para uma recuperação em tempo hábil.

Monitoramento

A redundância por si só não pode garantir alta disponibilidade. Um mecanismo deve estar no local (ou um serviço remoto de monitoramento) para detectar falhas e agir quando um dos componentes da sua pilha se torna indisponível.

A detecção e recuperação de falhas para sistemas redundantes podem ser implementadas usando uma abordagem de cima para baixo: a camada em cima torna-se responsável por monitorar a camada imediatamente abaixo das falhas.

Em nosso cenário de exemplo anterior, o balanceador de carga é a camada superior. Se um dos servidores da web (camada inferior) ficar indisponível, o balanceador de carga deixará de redirecionar solicitações para esse servidor específico.

Como a cloud computing pode ajudar a conseguir alta disponibilidade tecnológica?

Por fim, também é importante saber que muitas empresas têm investido cada vez mais em computação em nuvem (cloud computing) para obter alta disponibilidade.

Isso acontece porque, ao migrar aplicações e serviços tecnológicos para a nuvem, a disponibilidade passa a ser uma preocupação do provedor. É ele quem se preocupa com a infraestrutura e os recursos necessários para manter as aplicações sempre disponíveis e seguras. Ele tem pessoal especializado, conhecimentos (de métodos e práticas, por exemplo) e recursos para isso.

Com a cloud computing, a alta disponibilidade também é garantida para que os usuários possam ter mobilidade. Como os sistemas e recursos são entregues via internet, eles poderão usar as soluções em qualquer lugar que esteja e utilizando qualquer tipo de dispositivo (desktop, notebook, tablet ou smartphone).

Quem pode utilizar a Alta Disponibilidade?

No geral, qualquer empresa que tem informações em sistemas digitalizados podem e devem utilizar essa possibilidade como prevenção para possíveis falhas.

Os negócios que dependem totalmente de servidores e sistemas devem ficar ainda mais atentos ao sistema de Alta Disponibilidade e avaliar se essa é a melhor opção para não perder negócios e transações importantes.

Para isso, o departamento de TI pode realizar uma avaliação criteriosa das vantagens que a Alta Disponibilidade pode trazer para o negócio.

Vamos pensar em um exemplo prático: imagine que sua empresa é uma instituição de ensino e todos os dados dos alunos e pais estão armazenados em sistemas que necessitam, obviamente, de servidores específicos para funcionar. Caso ocorra uma falha e você tenha que realizar uma manutenção, será feito um backup, o servidor será inativado e, após o reparo, os arquivos serão reinseridos. Porém, durante esse processo, você não tem acesso a nenhuma informação dos alunos, o que pode gerar transtornos e prejudicar a instituição.

Viu, só? Quando falamos em Alta Disponibilidade, pensamos em segurança, agilidade e garantia dos lucros. Avalie essa possibilidade!

E que tal dividir essas informações com seus colegas? Compartilhe nas redes sociais.

Junte-se a 7.100 leitores inteligentes e receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis para ter sucesso na gestão de tecnologia ( é grátis! )