Bitcoin moeda valendo mais que ouro

Tempo de leitura: 3 minutos

A Bitcoin é uma moeda digital controlada por uma rede peer-to-peer sem depender de bancos centrais e já é um mercado de trilhões de dólares. Essa moeda é transferível e não rastreável.

Atualmente, uma unidade da moeda virtual vale US$ 6.419,57 correspondente a R$ 26.432,1. Porém, o maior pico de valorização foi no dia 17 de dezembro de 2017, quando chegou a valer US$ 19.551,00  totalizando R$ 62.564,00.

O valor da Bitcoin tem subido constantemente nos últimos anos. Há algum tempo atrás, o preço da moeda virtual era na casa dos US$ 250 de 2015 para cá, porém, ele começou a subir, embora de maneira bastante imprevisível, até atingir o valor recorde em 2017. Vale lembrar que o preço da Bitcoin se regula pela lei de oferta e procura, que rege todas as transações comerciais fora da esfera digital.

Como são geradas as Bitcoins?

A geração de bitcoins se dá através de um processo chamado mineração, o qual envolve a resolução de um problema matemático do bloco. Os mineradores são usuários que disponibilizam computadores para o processo de geração de bitcoins. Para cada bitcoin gerada, eles são premiados com uma quantia de bitcoins. Também é função deles validar transações feitas dentro das rede.

As bitcoins são regulamentadas de forma a estabelecer uma cota de geração dessas moedas. Quando forem geradas 21 milhões de bitcoins, o sistema continuará funcionando, porém, sem a “emissão” de novas moedas. Sabe-se que a cada quatro anos é reduzida pela metade a quantidade de novas bitcoins geradas.

Acesso à rede Bitcoin

O acesso à rede é feito pela criação de uma carteira virtual – também chamada de wallet – que é a conta pela qual o usuário transfere e recebe bitcoins. Essas transações realizadas, após passarem pelos mineradores são registradas no Blockchain, um livro público de registros que é protegido por esse mesmo sistema. O Blockchain é o que dá a última confirmação e validação da transação realizada. Uma vantagem das Bitcoins é que elas podem ser convertidas em moedas reais de qualquer país a qualquer momento.

Mas o que Bitcoin implica no nosso dia a dia?

A Bitcoin já está presente em diversas empresas, seja em transações comerciais, pagamento de serviços prestados e até mesmo em atividades de lazer. Por não ser uma moeda rastreável, a Bitcoin é muito usada por criminosos virtuais. Com a alta valorização da moeda, o número de ataques e pedidos de resgate tende a subir espantosamente.

Assim como citado acima essa é a moeda solicitada como forma de pagamento na recuperação de dados quando sua organização é afetada por ransomware (do inglês ransom = resgate e ware = referência a malware). O resgate solicitado pelos criminosos é o pagamento de um valor em Bitcoin, para que seus dados sejam liberados. O grande problema está no fato de que os dados podem não retornar com êxito a sua origem. Ou seja, você pode pagar o resgate e ter todos os seus dados recuperados. Embora também exista a possibilidade de que você não recupere todos eles. Sem falar que você pode pagar o resgate e não receber nenhum de seus dados de volta.

Quer se proteger contra ataques de ransomware, a Introduce pode ajudar você. Conheça nosso seguro cibernético e garanta a proteção dos dados sensíveis de sua empresa.