Precisamos conversar sobre testes de intrusão

Tempo de leitura: 3 minutos

Uma das formas mais eficientes de verificar a segurança digital da sua empresa é com os chamados testes de intrusão. Eles são uma espécie de auditoria em que é adotada a perspectiva de um potencial invasor no sistema, também chamados de PenTest, uma abreviação do inglês Penetration Test.

Testes de intrusão são uma prática relativamente antiga, mas muitas indústrias ainda resistem em contratar esse tipo de serviço, seja por excesso de confiança na sua proteção digital ou simplesmente desleixo.

Hoje em dia, em que práticas como o ransomware estão ganhando as manchetes no mundo todo, esse descuido pode ser fatal. Neste artigo, vamos explicar melhor o que são os testes de intrusão, como funcionam e porque é muito importante realizá-los.

O que são os testes de intrusão

Uma analogia para entender melhor os testes de intrusão é enxergar as medidas de segurança digital da empresa como um grande castelo medieval, com muralhas, fossos e todo tipo de proteção para os dados da companhia.

A empresa geralmente tem uma visão dessa fortaleza de dentro para fora, uma perspectiva de defensores. Mas quando surge um exército inimigo no horizonte, eles podem ser capazes de identificar falhas nas defesas que só seriam visíveis do ponto de vista do atacante.

E mesmo se a proteção estiver quase perfeita, basta uma mínima abertura para o inimigo entrar. Portanto, melhor que esperar que a fortaleza seja testada pelo perigo real, é mais astuto colocar antes um aliado para procurar problemas na visão do atacante.

Essa figura é normalmente chamada de auditor, pentester ou até Ethical Hacker (Hacker Ético). Normalmente um profissional externo contratado pela empresa, ele vai colocar a prova a segurança digital da companhia com todo tipo de tentativa de invasão.

Como funcionam os testes de intrusão

Black Box

Essencialmente, existem duas formas de conduzir um teste de intrusão. Na primeira, chamada de black box, a empresa deixa o auditor no escuro, sem passar a ele nenhuma informação do sistema.

O profissional gastará um tempo com pesquisas e a elaboração de técnicas criativas, mas será uma simulação bem precisa de um ataque real.

White Box

A segunda forma é o white box, em que o pentester já está munido de informações de todo o tipo do sistema, incluindo o mapeamento da rede e até conta e senha de acesso de um funcionário da companhia.

Nesse tipo de teste, o risco de que alguma falha passe batido é menor. Além disso, é uma simulação de atividades indevidas de colaboradores e ex-empregados, que já possuem algum conhecimento do sistema da empresa.

Depois de realizar o teste de intrusão, o auditor vai conseguir levantar todos os pontos vulneráveis, falhas na rede, no código e em qualquer ponto da estrutura de segurança digital da companhia.

É comum que ele faça sugestões de como sanar esses problemas, mas nem todo profissional oferece esse serviço. O importante é ter agora o sistema realmente validado na prática com dados reais do seu funcionamento obtidos nos testes de intrusão.

E você, já está pronto para fazer testes de intrusão e verificar se as suas medidas de proteção realmente bastam para impedir acessos indesejados? Entre em contato com a gente e descubra como podemos fortalecer sua segurança digital!