Glossário do CIO

Tempo de leitura: 18 minutos

Reunimos um Glossário especial pensado para todos os CIOs se sintonizarem com os principais conceitos da nova era digital – permeada pela inovação, hiperconectividade e dinamicidade – e guiarem suas empresas pela trilha da Transformação Digital.

DICA: Use um “CTRL + F” e pesquise pela sua palavra-chave em nosso glossário.

Cocrie com a gente! Comente aqui e contribua com mais termos.

A

Alta Disponibilidade –  refere-se a um sistema, componente ou ambiente tecnológico que está continuamente operacional.

API (Application Programming Interface) –  é um conjunto de rotinas e padrões de programação para acesso a um aplicativo de software ou plataforma baseado na Web. Uma API é criada quando uma empresa de software tem a intenção de que outros criadores de software desenvolvam produtos associados ao seu serviço.

B

BI – um conjunto de estratégias que envolvem a captura e a análise de dados para processos de tomada de decisão.

Big Data – Termo amplamente utilizado na atualidade para nomear conjuntos de dados muito grandes ou complexos, que os aplicativos de processamento de dados tradicionais ainda não conseguem lidar. Os desafios desta área incluem: análise, captura, curadoria de dados, pesquisa, compartilhamento, armazenamento, transferência, visualização e informações sobre privacidade dos dados.

Bitcoin – é uma criptomoeda descentralizada apresentado em 2008 no grupo de discussão The Cryptography Mailing por um programador japonês, ou um grupo de programadores, de pseudônimo Satoshi Nakamoto, é também um sistema ou rede de pagamento online baseado em protocolo de código aberto independente chamado de “sistema eletrônico de pagamento peer to peer“, inaugurada em 2009; É também um software de código aberto que o grupo projetou para manipulação da moeda e da respectiva rede peer-to-peer (P2P ou ponto-a-ponto). É uma moeda cujo valor varia de forma imprevisível.

BPI (Business Process Improvement) – metodologia de aplicação de melhores práticas, tanto para enxugar a operação e aumentar a produtividade quanto reduzir custos, criando um negócio realmente otimizado e escalável.

BPO (Business Process Outsourcing)– é a contratação de empresas para realização de funções que não fazem parte do core business da empresa. Ou seja, funções que não precisam ser realizadas e gerenciadas internamente podem ser realizadas através do BPO. 

BYOD (Bring your Own Device ou “traga seu próprio dispositivo”) – é a possibilidade de utilizar equipamentos pessoais como celulares, tablets ou notebooks no ambiente corporativo.

C

CAPEX – é a sigla de CAPital EXpenditure, que são os custos ligados às aquisições de bens materiais feitas por uma organização (ativos). Alguns exemplos podem ser ferramentas, equipamentos eletrônicos, como computadores e impressoras, e também expansões do espaço físico, bem como aquisições de novos lotes, barracões, entre outros.

CIO (Chief Information Officer) – é o diretor de tecnologia da informação, cabendo a ele a responsabilidade por todas as áreas de informática e informação da empresa, tomando decisões estratégicas sobre as tecnologias e procedimentos a serem aplicados no negócio.

Cloud Computing (Computação em Nuvem) –  utilização da memória e da capacidade de armazenamento e cálculo de computadores e servidores compartilhados e interligados por meio da internet, seguindo o princípio da computação em grade.

Compliance –  como o conjunto de disciplinas e práticas para que elas estejam em conformidade legal, ou seja, cumprindo todas as leis e normas estabelecidas para o negócio.

Computação Cognitiva –  é uma tecnologia que dá a sistemas a capacidade de analisar um grande conjunto de informações em um tempo mínimo. Assim, softwares e pessoas podem tomar decisões rapidamente a partir de uma análise de dados abrangente e inovadora, que envolve registros estruturados e não estruturados.

CRM – ferramenta de gestão de relacionamento com clientes. Fornece informações sobre clientes ativos, inativos, em prospecção e oportunidades.

D

DevOps – é a junção das palavras “desenvolvimento” e “operações” e consiste em práticas que visam integrar as equipes de desenvolvimento e operações de uma empresa. Bem como adoção de automatização de processos para realizar uma produção rápida e segura de serviços e aplicações, tornando a empresa mais competitiva no mercado e mais rápida na realização de suas entregas.

DLP (Data Loss Prevention ou Prevenção de Perda de Dados) – refere-se a sistemas e metodologias que possibilitam às empresas a reduzir o risco do vazamento de informações confidenciais.

E

E-commerce (electronic commerce) –  designação genérica para as operações de comércio eletrônico que utilizam a internet como ferramenta ou meio de transações.

ERP – software corporativo completo que permite que os gestores possuam informações de todas as áreas da empresa (finanças, estoque, vendas, compras, logística, fiscal, produção, contabilidade, etc.) em um único sistema.

Escalabilidade – capacidade que determinado equipamento possui para receber implementações evitando que se torne obsoleto ou deixe de atender às necessidades do usuário. Podem incluir, por exemplo, aumento de quantidade de memória, troca de discos ou processador, entre outros.

F

Follow-up –  em tradução livre do inglês, “acompanhamento”, é um termo utilizado para monitorar o andamento de processos após sua etapa inicial , bem como para o monitoramento de resultados. 

G

GDPR – em português, Regulamento Geral de Proteção de Dados, o GDPR é uma legislação de proteção de dados dos países da União Europeia que impõe novas regras de controle e processamento de informações de identificação pessoal e foi incorporada a partir de 25 de maio de 2018.

GED –  tecnologia que facilita o controle, o compartilhamento, o armazenamento e a recuperação dos dados e informações existentes nas empresas. As soluções GED permitem que a equipe tenha acesso aos documentos de maneira ágil e segura, normalmente via internet, podendo acessá-los a partir de qualquer lugar.

Gestão de Processos – conceito que abarca a gestão de negócios e a gestão da tecnologia da informação visando otimizar os resultados das empresas através da melhoria dos processos organizacionais.  

Gestão de Projetos –  área da administração que aplica conhecimentos, habilidades, técnicas e recursos elaborar, organizar e controlar atividades com objetivos pré-definidos realizadas dentro de determinado prazo e respeitando delimitações de orçamento e padrões de qualidade.

Google Workspace é uma suíte de apps na nuvem que reúne diversos serviços do Google pensados para a esfera corporativa, tal como email, agenda, drive para armazenamento de arquivos, editor de texto, planilhas, apresentações de slides e mais.

Governança de Dados – é uma estrutura com o propósito de coordenar, orientar e definir regras para a criação, coleta e uso dos dados, visando proteger a propriedade intelectual da empresa e garantir a segurança no armazenamento, monitoramento e geração de dados no ambiente corporativo.

Governança de TI – conjunto de ações estruturadas e implementadas de forma a proporcionar uma sincronia da área de tecnologia com os padrões e metas da instituição.

H

Hiperconvergência – infraestrutura na qual todos os sistemas da empresa trabalham de forma conjunta e integrada — armazenamento, softwares, gerenciamento e redes.

I

IDS (Intrusion Detection System ou Sistema de Detecção de Intrusão) –  software que automatiza o processo de detecção de intrusão. Refere-se a meios técnicos de descobrir em uma rede quando estão ocorrendo acessos não autorizados.

IOT (Internet of things ou (“Internet das Coisas”) –  conexão de basicamente qualquer coisa à internet, seja ela um eletrodoméstico, dispositivo, tênis, enfim, qualquer coisa. a IoT tem tido grande impacto nas empresas, sendo aplicada em projetos e até mesmo na gestão da empresa.

IPS (Intrusion Prevention System ou Sistema de Prevenção de Intrusão) – tecnologia de segurança/prevenção de ameaças que examina os fluxos de tráfego de rede para detectar e prevenir vulnerabilidades. Elas geralmente vêm na forma de entradas maliciosas em um aplicativo ou serviço alvo que os invasores usam para interromper e obter o controle sobre um aplicativo ou máquina.

ISO (International Organization for Standardization) – em tradução do inglês, Organização Internacional de Padronização, é uma organização fundada em 1946 com o objetivo de desenvolver normas de padronização para melhorar a qualidade e impulsionar o consumo de bens e serviços.

J

K

Kickoff – reunião em que todos os participantes do projeto se reúnem para definir objetivos, recursos, restrições, prazos e cronogramas referente ao projeto em pauta. O evento deve ocorrer em um local separado do ambiente de trabalho para facilitar a comunicação e evitar interrupções.

KPI (Key Performance Indicator) – em tradução livre Indicador-Chave de Performance, serve para desempenho dos processos organizacionais de forma identificar como aprimorá-los para atingir métricas e objetivos.

L

LGPD – sigla para  Lei Geral de Proteção de Dados. Sancionada em 14 de agosto de 2018, a lei tem como base a legislação GDPR da União Europeia e regulamenta a coleta e o tratamento de dados sensíveis no Brasil, que com o objetivo de devolver aos usuários o poder sobre os seus dados 

M

Microsoft 365 – suíte de aplicativos para escritório da Microsoft Office, que faz parte da jornada Modern Work, com foco no trabalho colaborativo simultâneo e na segurança da informação.

N

O

Omnichannel – está relacionado a uma estratégia empresarial que promove o uso de diversas plataformas de comunicação e ouvidoria ao cliente.

OPEX – é a sigla de OPerational EXpenditure. Se refere à classificação dada aos custos operacionais de um empreendimento e àqueles destinados à manutenção de seus equipamentos e infraestrutura, como funcionários, tributos, saneamento, energia elétrica, terceirizações etc.

Outsourcing – termo que se refere à terceirização da infraestrutura e serviços de TI, ou seja, em vez de adquirir as soluções, como softwares e hardwares, a empresa faz uma espécie de aluguel e a empresa contratada fica responsável por administrar desses recursos.

P

Plano de Continuidade de Negócios (PCN) –  plano para cenários de crises ou problemas muito graves que afetam a empresa e o funcionamento dos negócios – tal como um ataque ransomware. O PCN estabelece tudo o que deve ser feito durante uma situação complexa, indo desde o funcionamento dos sistemas primários da empresa até o relacionamento com a imprensa a fim de proteger as informações dos clientes, fornecedores e colaboradores e preservar a imagem e o patrimônio da organização. 

PDTI – sigla para Plano Diretor de Tecnologia da Informação, se trata uma ferramenta que traça as diretrizes e especifica as ações e o orçamento para que os objetivos sejam alcançados em curto prazo com o diagnóstico, o planejamento e a administração de processos e recursos tecnológicos da empresa.

Pentest – também chamado de penetration test ou, em tradução livre, teste de intrusão, é um serviço prestado por um profissional especializado (pentester ou ethical hacker) que tenta invadir os sistemas da empresa para identificar pontos de brechas de segurança e vulnerabilidades nas soluções adotadas. Pode ser feito nas modalidades White Box, Grey Box e Black Box (explicamos mais sobre elas em nossa Talk Introduce #37).

PETI –  sigla para Plano Estratégico de TI,  é o planejamento de forma estratégica do departamento de tecnologia, baseado em informações concretas e com as melhores práticas de mercado, de forma a criar uma vantagem competitiva para a empresa.

PMI – sigla para Project Management Institute, se trata da associação líder mundial para todos aqueles que consideram a gestão de projetos, programas e portfólios a sua profissão. (Fonte: https://www.pmi.org/)

PMO – em tradução livre, escritório de projetos, se trata de uma estrutura organizacional com a missão de padronizar a gestão e governança de projetos, fornecendo métodos, ferramentas e orientações aos gerentes de projetos da empresa

POC – sigla para Proof of Concept ou, em tradução, Prova de Conceito, é um fragmento bem pequeno do que será o produto final desenvolvidas rapidamente para provar que o conceito é viável e pode ser executado.

Projeto –  esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. (Fonte: Guia PMBOK®)

PSI – sigla para Política de Segurança da Informação é o conjunto de ações, técnicas e boas práticas relacionadas ao uso seguro de dados. Ou seja, trata-se de um documento ou manual que determina as ações mais importantes para garantir a segurança da informação.

Q

R

ROI (Return on Investment ou Retorno Sobre o Investimento) – mensuração do tempo necessário para retornar o valor investido na aquisição de novas soluções tecnológicas.

RPA (Automação de Processos Robóticos) – consiste em uma aplicação tecnológica que permite a automatização de processos através de um (software) robô.

RPO –  Sigla para Recovery Point Objective, o RPO é um indicador utilizado para empresas mensurarem a quantidade de informações que podem ser recuperadas após uma falha operacional. Para isso, ele leva como base o intervalo entre a criação de cada cópia de informações da empresa.

RTO – Sigla para Recovery Time Objective, esse indicador é utilizado para mensurar o tempo máximo que um sistema ou dado pode ficar indisponível após uma falha. Ele leva em conta o impacto causado por um problema e, a partir disso, define um prazo de referência para que técnicos consigam restaurar parte das operações da empresa.

Recuperação de Desastre (DR) – tradução do termo Disaster Recovery (acima), envolvendo no plano de recuperação: Arquivamento e Backup, que é normalmente usado para recuperação, enquanto o arquivamento é normalmente utilizado para preservação e retenção a longo prazo.

S

SAD – sigla para Sistema de Apoio à Decisão, é uma parte do conjunto de Sistemas de Informações que regem empresas globalmente. Tem foco no planejamento estratégico e em ajudar a resolver problemas organizacionais do dia a dia. “Sob o ponto de vista empresarial ele funciona como uma importante ferramenta para reduzir seus custos, manter-se focada na sua estratégia e ganhar vantagem competitiva ao longo do tempo, mantendo-se no mercado globalizado e que a cada dia é mais exigente.” (Fonte: Administradores.com)

Scrum – metodologia ágil para gestão e planejamento de projetos. Inicialmente foi criado e embasado no desenvolvimento de software, porém hoje praticamente é possível usar em todas as áreas de um negócio. No Scrum, os projetos são divididos em ciclos (tipicamente mensais) chamados de Sprints, e é a partir do planejamento da Sprint que começam os resultados.

SI – mecanismo projetado com a finalidade de coletar, processar, armazenar e transmitir informações, de maneira a facilitar o acesso de usuários interessados, solucionando problemas e atendendo suas necessidades. (Fonte: Portal Unigranrio)

SIG –   sigla para Sistemas de Informação Gerenciais. São sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera produtos de informação que apoiam muitas necessidades de tomada de decisão administrativa e são o resultado da interação colaborativa entre pessoas, tecnologias e procedimentos, que ajudam uma organização a atingir as suas metas. (Fonte: Infoescola)

SLA (Service Level Agreement ou “Acordo de Nível de Serviço”) – contrato entre duas partes: a entidade que pretende fornecer o serviço e o cliente que deseja se beneficiar deste. Nele estão especificados, detalhadamente, todos os aspectos do tipo de serviço que será prestado, assim como os prazos contratuais, a qualidade do serviço e o preço a ser pago pelo trabalho.

SSL (Secure Sockets Layer) – ferramenta de encriptação de páginas antes de serem transmitidas pela internet que autentica as partes envolvidas. É muito utilizada para pagamentos online com cartão de crédito.

T

TCO – é possível afirmar que TCO (Total Cost of Ownership/ Custo Total de Propriedade) é a soma dos custos de aquisição, custos de implementação e custos de manutenção. Para estabelecer uma estratégia de TI, o TCO é uma métrica fundamental a ser usada pelos gestores, sejam diretores executivos (CEOs) ou CIOs. (Fonte: Strati)

Transformação Digital (TD) – a Transformação Digital é a mudança de mentalidade, atitude e operações nas empresas. Ela tem como essência o protagonismo das pessoas, focando na inovação, uso de tecnologias e na experiência dos usuários. Mas, acima de tudo, a TD é uma jornada que segue o caminho da adaptação ao novo mercado e aos novos contextos sociais que se desdobram e entrelaçam a cada dia.

TI – sigla para Tecnologia da Informação ou, como dizemos na Introduce, Tecnologia E Informação/ Tecnologia É Informação (Noção de que a tecnologia só existe pois a informação existe.) Envolve o uso de tecnologias tais como a nuvem, bem como ações relacionadas à gestão da infraestrutura e dos processos relacionados a tecnologia e segurança digital. 

TI Bimodal –  é um termo da Tecnologia da Informação utilizado para definir uma nova forma de gerenciar os serviços do setor. Nela, a TI é dividida em dois módulos, reduzindo gargalos e problemas que possam surgir no dia a dia. O Módulo 1  trabalha com a TI “tradicional”, incluindo a manutenção de softwares, a gestão de infraestrutura e processos que estão direcionados para garantir o bom funcionamento das soluções usadas diariamente por todos os usuários. O Módulo 2 envolve processos não tradicionais de TI, incluindo a criação de soluções para que a empresa possa ter uma infraestrutura de TI mais inovadora. Em outras palavras, o Módulo 2 trabalha com a gestão, implementação e investimento em tecnologias disruptivas.

TIC – sigla para Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), se refere à todo e qualquer tipo de tecnologia que trate informação e auxilie na comunicação, podendo ser na forma de hardware, software, rede ou telemóveis em geral. (Fonte: Instituto Senai de Inovação – Tecnologia da Informação)

TI Verde –  se refere à incorporação da preocupação com questões de sustentabilidade e impacto socioambiental na Tecnologia da Informação. Também se refere à um setor de TI que se importa com a forma com que suas ações atingem o meio ambiente. 

TN – sigla para Tecnologia de Negócios. Significa  colocar a tecnologia não mais a serviço exclusivo da TI e sim transformá-la em uma engrenagem central para o negócio – engloba gestão de processos, utilização de metodologias ágeis, governança de TI e reestruturação de estratégias de negócio abraçando a tecnologia. Tem os processos como protagonistas. 

U

V

VoIP (Voice over Internet Protocol ou Protocolo de voz sobre Internet) – sistema utilizado para levar voz através da rede de internet, podendo inclusive, substituir o telefone convencional.

W

Webinar – um dos formatos de comunicação e produção de conteúdo mais recentes e famosos da era digital. Se trata de uma palestra através de videoconferência com objetivos comerciais ou educacionais. Nos webinars, o(s) palestrante(s) interage(m) com o público através de chats disponíveis nas plataformas. A Talk Introduce, realizada todas a 5ª feira à 19h através do Facebook, Linkedin, YouTube e Instagram da Introduce é um exemplo de webinar.

X

Y

Z

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.